Brasil participa de reunião para discutir melhorias no código de pontuação da Ginástica Rítmica

Camila Ferezin e Leonardo Palitot representaram o Continente Americano no encontro durante o último dia de competição do Mundial de Pesaro..

Da redação, Santo André (SP) - O Brasil mostra, cada vez mais, que está incluído na elite da ginástica mundial. Neste domingo (3), último dia de competições do Mundial de Ginástica Rítmica de Pesaro, na Itália, a coordenadora das Seleções Brasileiras da modalidade Camila Ferezin, e o chefe de equipe Leonardo Palitot, participaram de uma importante reunião da Federação Internacional de Ginástica (FIG), como uma das representantes do Continente Americano, para discutir melhorias no novo código de pontuação estabelecido para este ciclo pela entidade.

Alem de três países europeus (Rússia, Espanha e Bulgária), respectivamente primeiro, segundo e terceiro finalistas olímpicos no all around, participaram também o Brasil, nono na classificação olímpica, e o Japão, oitavo, como os mais importantes representantes das Américas e da Ásia.

A discussão serve para que o novo código passe por alterações imediatas, para que ele possa ser melhorado, e também para que cada País desse sugestões já para o código que será adotado após 2020. Cada representante teve cinco minutos para fazer a apresentação.

As propostas feitas pelo Brasil com relação ao tema foram bem aceitas. "O Brasil apresentou várias propostas para melhorar a forma como se avaliam as provas de conjunto, todas foram recebidas de forma muito positiva, principalmente as referentes à valorização do artístico e para diferenciar as colaborações que tenham elementos particularmente difíceis ou originais", contou Camila.

Ela comentou o orgulho por poder representar o continente. "A reunião contou com as principais potências da modalidade e o Brasil foi convidado por ser escolhido como o referencial das Américas no conjunto. Fizeram uso da palavra a Rússia, Espanha, Bulgária, Japão e Brasil. Os países Ucrânia e Itália também solicitaram a participação na reunião e também puderam realizar as suas sugestões."

O Brasil, representado pela técnica Camila Ferezin, e o chefe de equipe Leonardo Palitot, entregou um documento formal apresentando todas as proposições para as possíveis mudanças no código de pontuação.



Comentários