Cinco anos após ouro nas argolas, Arthur Zanetti é homenageado no Brasileiro de Ginástica Artística

Ginasta conquistou medalha inédita para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012..

Há cinco anos, no dia 6 de agosto de 2012, o Brasil conquistava sua primeira medalha na ginástica. Arthur Zanetti entrou para a história. O atleta da Seleção Brasileira de Ginástica Artística Masculina conquistou o ouro na final das argolas dos Jogos Olímpicos de Londres, disputada na North Greenwich Arena, medalha inédita para o Brasil e para a América Latina na modalidade. O ginasta fez apresentação impecável e subiu ao lugar mais alto do pódio para ouvir o hino nacional.

Já neste domingo (6), no quinto aniversário da conquista, Arthur competiu nas finais do Campeonato Brasileiro Caixa de Ginástica Artística, que foi realizado no ginásio do E.C Pinheiros, em São Paulo (SP).

Durante a premiação do torneio, o atleta e o técnico Marcos Goto, atual coordenador técnico da Ginástica Artística da CBG, foram homenageados pela presidente da CBG, Luciene Resende. “Hoje é um dia muito especial, pois estamos aqui reunidos nesta competição que reúne várias gerações da modalidade em um dia que estamos comemorando a primeira medalha da Ginástica. É um fato histórico para a modalidade e para o esporte brasileiro”, disse Luciene.

A medalha de Arthur em Londres-2012 abriu as portas para outras conquistas olímpicas da ginástica brasileira. Na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, o ginasta garantiu a prata nas argolas. A segunda medalha olímpica de Zanetti veio em 15 de agosto, um dia depois de outro momento histórico para os ginastas brasileiros. Em 14 de agosto, o Brasil subiu duas vezes ao pódio na prova do solo. Diego Hypolito garantiu a medalha de prata e foi seguido por Arthur Nory, que ficou com o bronze.

De acordo com Luciene, “Relembramos e celebramos a realização dos Jogos Olímpicos no Rio e a participação do nosso País com a conquista de três medalhas olímpicas da ginastica ".



Comentários