CBG avalia Curso Nacional de Arbitragem de Ginástica Rítmica

Sessenta profissionais estudaram sobre o novo código para o ciclo olímpico 2017/2020..

Da redação, Santo André (SP) - A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) avaliou como positivo o Curso Nacional de Arbitragem de Ginástica Rítmica, em Aracaju (SE). O objetivo principal foi atualizar os participantes sobre o novo código de pontuação e formar o novo quadro de árbitros, válido para o ciclo olímpico 2017/2020. A programação foi encerrada no domingo (9).

Durante cinco dias, 60 participantes estiveram reunidos para estudar a dificuldade e a execução na ginástica rítmica individual e de conjunto, levando em conta aspectos artístico e técnico. O curso, voltado à formação dos árbitros para que possam atuar nos eventos nacionais da modalidade, foi ministrado pelas árbitras internacionais Monika Queiroz e Ana Carolina Pompeu. 

"Os árbitros vieram muito interessados, com vontade de aprender. Estudaram em casa e já tinham ótimas perguntas preparadas. O novo código é mais exigente e vai fazer com que todos estudem mais. Fizemos um questionário de avaliação sobre as aulas e percebemos que, independentemente de serem aprovados ou não, os alunos saíram satisfeitos porque absorveram o conhecimento", avaliou Renata Teixeira, coordenadora de arbitragem de ginástica rítmica da CBG, que cuidou da organização do curso.

O curso teve exames teóricos, com média 7, e práticos, com média 6. As atividades práticas tiveram a prova A, com avaliação de elementos isolados, e a B, que simulou uma competição, com coreografias completas. 

"A arbitragem é um ponto fundamental na ginástica, por não ser um esporte tão objetivo. Temos boas perspectivas, com profissionais que puderam reciclar seus conhecimentos. Vamos ter uma arbitragem ainda mais qualificada nas próximas competições nacionais", completou.



Comentários

Patrocinador oficial

Fornecedor de Material Esportivo

COMITÊ filiado

Ministério do Esporte

Centro de Excelência