Brasil conquista dezoito medalhas no Sul-Americano Adulto de Ginástica Artística

Foram onze ouros, quatro pratas e três bronzes na competição realizada em Cochabamba, na Bolívia..

Da Redação, Santo André (SP) - O Brasil confirmou seu favoritismo e manteve a hegemonia no continente ao finalizar o Campeonato Sul-Americano Adulto de Ginástica Artística, disputado no Poliesportivo de Sarco, em Cochabamba, na Bolívia, com um total de dezoito medalhas. Foram onze ouros, quatro pratas e três bronzes na última competição do ano da Seleção Brasileira.

Neste sábado (02), foram disputadas as finais por aparelhos, e o Brasil conquistou catorze medalhas, sendo sete de ouro, quatro de prata e três de bronze.

Na sexta-feira (1º), o País já tinha garantido as quatro medalhas de ouro em disputa, no individual geral masculino e feminino e também por equipes.

Hoje, no feminino, Carolyne Pedro foi ouro no salto sobre o cavalo, com 13,075, enquanto a argentina Ayelan Tarabini levou a prata, com 12,975, e a equatoriana Denisse Grijalva terminou com o bronze, com 12,863.

Lorrane dos Santos também garantiu o ouro nas assimétricas, com 12,975. Nessa prova, Milleny Esteves foi quarta colocada com 11,350. As argentinas Agustina Pisos, com 12,350, e Camila Bonzo, com 11,825, completaram o pódio.

No solo, Carolyne Pedro foi prata, anotando 12,825, e Maria França ficou com o bronze, com 12,325. O ouro acabou com a argentina Ayelen Tarabini, com 12.925. A trave foi o único aparelho em que o Brasil terminou sem medalha, com Anna Brito em quinto e Maria França em sexto.

No masculino, o Brasil fez dobradinha no solo, com Luis Porto ficando com o ouro, com 14,433, e Lucas Bitencourt com a prata, com 13,967. O uruguaio Victor Rostagno completou o pódio com 13,467.

No cavalo com alças, Péricles Silva levou o ouro com 13,400, e Luis Porto ficou em terceiro, com 13,067. A prata terminou com o equatoriano Israel Chiriboga, com 13,167.

Nas argolas, Lucas Bitencourt foi prata, com 13,600, e Henrique Medina ganhou o bronze, com 13,367. A prova foi vencida pelo argentino Federico Molinari, que alcançou 14,433.

Nas paralelas, mais uma de ouro para Péricles Silva, com 13,733, enquanto Leonardo Souza levou a prata com 13,400. O argentino Nicolas Cordoba completou o pódio com 13,333.

No salto, Luis Porto conquistou outra medalha de ouro, alcançando 14,083. A prata ficou com o uruguaio Victor Rostagno, com 13,667, e o bronze com o argentino Daniel Villafañe, com 13,534.

Na barra fixa, mais um ouro para o Brasil, com Lucas Bitencourt, que obteve 14,200. A prata acabou com o argentino Nicolas Cordoba, com 13,567, e o bronze com o equatoriano Andres Martinez, com 13,433. Henrique Medina, o outro brasileira na disputa, terminou em quinto.



Comentários